terça-feira, 2 de abril de 2013

Aldrabas e batentes

Patente no Café das Artes da Casa da Cultura de Setúbal de 2 a 30 de Abril
 
Aldrabas e batentes têm ambos a função de bater numa porta anunciando visitas, têm ambos um papel decorativo, ambos têm uma função simbólica de proteção contra os espíritos maléficos, e ambos se encontram ligados ao poder benfazejo da mão; no entanto uma coisa os destingue: enquanto o batente executa apenas a função de bater na porta, a aldraba serve também como trinco ou ferrolho.
Foi grande a importância da aldraba na Idade Média, na Renascença, e no Romantismo, sendo usada para mostrar ao visitante o estatuto social do anfitrião.
Neste contexto, do leão ao dragão, da serpente ao cão, os batentes zoomorficos indicavam o estatuto social do proprietário.
Ao estarem colocadas numa porta, as aldrabas e batentes cumprem ainda a função de quem vive para lá da mesma, afastando os intrusos, e também os espíritos malignos e o mau-olhado.Aparecem assim alguns guardiões sibólicos, como a mão-de-fátima, as cabeças de cão, os tritões, etc.
Podemos encontrar aldrabas e batentes espalhados, embora cada vez em menor número, por todo o país, mas em especial no Sul, onde a influência Árabe se fez notar em maior escala.