segunda-feira, 28 de janeiro de 2013


ARRANHANDO A EXISTÊNCIA

Os trabalhos abordam e desenvolvem questionamentos, angústias, pensamentos, desejos e lembranças que permeiam e arrebatem o ser humano em toda a sua existência.
Entre vida e morte mergulha numa viagem interior o eu, bifurcando-se em busca do auto-conhecimento.
É uma empreitada levada às últimas consequências até redescobrir a vida, a morte, o recomeço.
È como um escavar e uma procura e que coloca a questão da identidade ou da sua projeção na representação do tempo como imaginário utópico.
A pulsão utópica encontra-se, portanto, na elaboração de várias imagens.
Assiste-se a uma compressão do tempo, como se a realidade só pudesse ganhar sentido deslocando-se do presente para um outro tempo que não é passado porque movimenta os seres, objetos, pensamentos e sensações.

Pedro Charters de Azevedo nasceu em Lisboa a 3/11/46. Começou a desenhar e a pintar regularmente em 1998. Iniciou a sua actividade pública em 1999, dedicando-se em exclusivo à pintura a partir de 2000, tendo até hoje realizado algumas dezenas de exposições.
O seu trabalho situa-se no terreno de uma pintura que faz do jogo entre a figura, as por vezes estridentes manchas de cor, os materiais e a técnica da aplicação da tinta, o seu esteio expressivo.
Ver fotografias AQUI